sábado, 16 de agosto de 2008

Apresentação

Meu nome é João Vicente Lavieri, tenho 42 anos, sou casado e tenho uma filha de 10 anos. Sou advogado.

Tenho (ou melhor, estou com) triparesia. Triparesia é o comprometimento parcial da força e sensibilidade em três membros.

Porque resolvi iniciar este blog? Para lutar pelas coisas que acredito e protestar contra aquilo que acho errado. Dar algumas dicas e trocar idéias sobre os direitos e interesses dos portadores de necessidades especiais.

Ficar reclamando do país ou dos políticos pode ser excelente como desabafo, mas não muda nada. Então, após o incentivo de alguns amigos, resolvi fazer este blog, para tratar de questões concretas, que afetam ou podem afetar o nosso dia-a-dia.

Sua contribuição, sugestões, comentários e críticas (desde que respeitosas) são muito bem-vindos.

Vamos ver no que dá. Acho que pode ser divertido. Espero dar conta do recado.

João Vicente

9 comentários:

Odele Souza disse...

João Vicente,

Estou contente que tenha tomado a decisão de abrir este blog. Nós já tínhamos conversado sobre isto e eu já tinha lhe passado minha opinião. Os blogs, estão cada dia mais se tornando um tipo de mídia muito interessante. Podemos usar nosso blog para passar a nossa mensagem, defender causas, ser solidários a elas, mostrar a nossa indignação, fazer nosso protesto. Além disso João, escrever nos liberta, encurta distâncias, aproxima as pessoas. Escrevendo podemos tanto falar de amor como exorcizar a dor.
Boa sorte para o seu CAMINHO LIVRE.

Um abraço.

Fernanda Cristina disse...

João,
Fiquei muito feliz com a novidade... espero conseguir acompanhar seus passos!!!
Parabéns pela iniciativa!
Beijos Fernanda

João Vicente Lavieri disse...

Obrigado, Odele. Foram exatamente o seu incentivo e exemplo que me levaram a criar este blog.
Admiro muito a sua luta. Não há nada maior que o amor de mãe.
Abrs,

João Vicente Lavieri disse...

Obrigado, Fernanda. É muito bom contar com a sua visita e será fantástico se eu puder reencontrá-la aqui, de vez em quando.
Prometo esforçar-me escrevendo mensagens que sejam úteis.
Bls,
JVL

luizalves disse...

Joao,
Muito legal que voce tenha decidido criar o seu blog, em especial, para discutir um tema de tao grande relevancia como este que voce se propõe. De antemão te digo que exige bastante dedicação e paciencia para mante-lo atualizado. Eu mesmo tenho o meu blog a bastante tempo e faz um bom tempo que nao o atualizo.
Vou publica-lo na minha lista de blogs e vou divulgar a URL para todos que eu tiver acesso.
Um pequeno gesto de uma pessoa grande que é voce João. Que voce continue sendo esta pessoa iluminada que sempre foi.
Abraços.

João Vicente Lavieri disse...

Obrigado, Luiz.
Tentei acessar o seu blog para deixar uma mensagem, mas não consegui.
É que preciso deixar de ser cara de pau e responder comentários aqui, aumentando o número de comentários das minhas própias mensagens.
Um grande abraço,
JVL

andreas disse...

Caro João Vicente,

Muitos que não possuem ou não convivem com pessoas com alguma forma de deficiência física desconhecem as dificuldades que esses cidadãos vivenciam diariamente. A falta de consciência e apoio por parte do setor público e da própria sociedade para com as necessidades e os direitos dos deficientes é algo que precisa mudar. Espero e torço para que seu Blog contribua para uma maior conscientização de todos a respeito do assunto.
Parabéns pela sua iniciativa.

Grande abraço

Marcelo Lavieri disse...

Segundo estatísticas da ONU, existem no planeta 650 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência - uma a cada 10 habitantes, a maioria em países desenvolvidos. No Brasil são 24,5 milhões de pessoas com deficiência (14,5% da população), segundo o Censo 2.000.
Em São Paulo, dados do Detran apontam 53.963 CNH´s especiais na capital e mais 128.302 no restante do Estado. Para atender este universo, a Cavenaghi, empresa especializada em adaptação veicular, lança no mercado uma nova tecnologia que facilita a entrada e saída dos veículos, em especial para paraplégicos e tetraplégicos que possuem maior dificuldade à imobilidade.
São bancos giratórios e móveis presentes em três diferentes modelos. O mesmo banco é usado tanto no veículo quanto na cadeira de rodas, o que descarta a necessidade de deslocar o cadeirante. Segundo a empresa, todos foram testados em colisões de impacto conforme normas internacionais de segurança veicular.

Maiores Detalhes:

http://www.cavenaghi.com.br/

Luis Fernando Priolli disse...

Lavieri,
Parabéns pela iniciativa. Acredito que o blog contribuirá para aprofundar o debate e a pesquisa a respeito.

Forte Abraço,

Luis Fernando Priolli